Implante de Dentes


    

       O que fazer para colocar um dente perdido? Implante de dente ou dentario. A cirurgia, como é feita? E o preço, é caro? 50 anos- A dentadura não para? O que fazer?

       Implante de dente ou dentário - Desde o primórdio da humanidade, o ser humano sempre buscou a reposição de perdas dentais através de diversos materiais, como demonstram crânios arqueológicos com sinais de tentativas de implantação dentária com conchas, marfim, madrepérola, ouro, cobre, entre diversos outros materiais.

      Mesmo nos tempos mais modernos, os implante de dentes, sempre esbarrava, com a dificuldade do organismo em "aceitar" um material estranho, ao nosso meio, mesmo quando era utilizado “dentes humanos” acabavam sendo "rejeitados" ou expulsos, de seus locais quando se tentava implantá-los.

        O uso de materiais metálicos, para implantes dentários (como o aço cirúrgico ou de materiais sintéticos, embora contornassem o problema da "rejeição", não resolviam os problemas, pois o organismo simplesmente encapsulava (formava de um tecido fibroso, em lugar de osso), impedindo a sua função, como elemento mastigador e, o que é pior, sujeitando o paciente, as infecções peri-implantares.

        Hoje, sabe-se que a utilização de implantes de dentes, feitos com materiais a base de titânio, são bem tolerados e faz com que haja, uma integração do osso, com o material utilizado e assim a implantodontia deixou de ser uma esperança para se tornar uma realidade biologicamente aceitável, com prognósticos de sucesso de 94% nos casos de implantes maxilares e de 97% nos casos de implantes mandibulares.

O que é osteointegração?

        No caso, dos implantes de dentes e de parafusos em ortopedia, feitos em Titânio. A osteointegação significa, qu ao contarmos um osso, com um implante, ao meio veremos que o osso e o implante dental, estão em contato íntimo, sem outro tipo de tecido, entre eles.

      O implante dentário, consiste em um cilindro, feito de metal Titânio, de alta pureza, usinado, que se comporta, como uma raiz dentária artificial. Apresenta uma rosca interna e externa, dependendo do tipo de implante utilizado. A externa é para aumentar a área, de integração com o osso e a interna para suportar a futura prótese, que pode ser uma coroa artificial ou uma, ponte fixa. Na nossa clínica, utilizamos os implantes do sistema 3i, considerados um dos mais modernos do mundo.

      Os implantes de dentes, apresentam algumas limitações, tais como idade, anatomia e condições orgânicas do paciente (como, por exemplo, diabetes em uma taxa alta, quando não pode se ter o controle adequado). Só pode ser colocado em um paciente que possua o desenvolvimento completo (17 anos nas moças e 18-19 anos nos rapazes) e nos idosos, poderão ser instalado sem problemas, naqueles que possuam boas condições orgânicas.

      As melhores indicações, para a colocação de implantes dentários, são as regiões anteriores, de pré-molar a pré-molar, em maxila e em mandíbula. Regiões mais posteriores, podem sofrer restrições por apresentarem acidentes anatômicos que atrapalham a instalação de um implante dental, embora seja necessário um exame radiográfico, para a perfeita indicação ou contra indicação.

      Mesmo nesses casos, se pode conseguir implantar, com o auxilio de técnicas de enxertos, que preparam o osso, para que possa ser possível a colocação, de implantes dentários.

      Infelizmente é contra indicado os implantes dentários em alguns pacientes portadores de Diabetes, com taxa de glicose no sangue alta, e que não se consegue uma redução desses níveis, para índices aceitáveis, pois nestes pacientes a osteointegração (a adesão do osso ao implante, fica prejudicada).

      A cirurgia de implantação dentária é delicada para o cirurgião. Para o paciente, ela não traz maiores dificuldades. É executada, sob anestesia dentária local comum, em consultório, com os cuidados normais de uma pequena cirurgia bucal. A dor é facilmente controlada com analgésicos, tornando o pós-operatório bastante cômodo.


A implantação é realizada em seis etapas:

Planejamento: É mais difícil e importante das etapas. Nela serão solicitados exames radiográficos com marcadores especiais que permitam uma medição exata da quantidade de osso disponível em seus maxilares. Quanto maior a quantidade (altura e espessura e qualidade do osso), maior poderá ser o tamanho do implante dentário e consequentemente maior a resistência do mesmo. Serão avaliados minuciosamente as estruturas orais, (incluindo dentes, gengivas, mucosas, língua, músculos da mastigação, padrão de mordida e desoclusão do dentes, avaliação da saliva e hábitos higiênicos). Serão feitos modelos de gesso, das arcadas dentárias para estudo, os quais serão montados em um articulador (aparelho para o estudo dos movimentos mastigatórios). Nele, serão estudados a forma e função dos seus dentes naturais, possibilidades e alternativas de próteses (planejamento dos dentes artificiais). Serão solicitados exames laboratoriais, para avaliar sua condição geral de saúde e metabolismo ósseo e, ainda, exames específicos para detectar sua qualidade óssea.

      Com base nisto tudo, o profissional decidirá o tipo de prótese ideal para o seu caso específico (Fixa de porcelana – implanto suportada, por exemplo, ou no caso de quiser fixar mais, as dentaduras – implanto gengivais, barateando o custo, neste caso, por precisar menos implantes). Juntando estas informações, com suas medidas e qualidade ósseas é que será decidido o número, distribuição (localização ideal) e tamanho dos implantes. Quanto maiores, mais largos e em maior número, tanto melhor o resultado final e melhor a capacidade mastigatória. Serão avaliadas suas gengivas e sua higiene.


        Doenças gengivais, cáries, infecções, dentes com tratamento de canais duvidosos e má higiene (acúmulo de placa microbiana) contra indicam a colocação de implantes.

Colocação dos implantes de dentes. Primeira fase cirúrgica: Depois da aplicação de anestesia, é feito a incisão e descolamento da gengiva, no local previamente determinado para a colocação dos implantes (esses passos são feitos, se não for preciso enxerto de ossos antes). São feitas cavidades no osso (uma para cada implante) onde serão alojados os implantes (normalmente, utilizamos os implantes do tipo parafuso, por possuir uma maior área de contato com o osso, do que os implantes cilíndricos).

        Os implantes são aparafusados no osso (a semelhança que se faz para aparafusar um parafuso, em uma madeira).

Com a colocação dos parafusos, dos implantes dentários, existe 3 possibilidades, dependendo da técnica a ser utilizada:

      A- A colocação de uma tampa sobre implante (existe uma rosca, na cabeça do implante dentário, onde é fixado essa tampa), sutura.

      B- A colocação de uma tampa sobre a parte do implante e também de enxerto ósseo, caso necessário (quando a perda óssea é pequena), sutura.

      C- A colocação imediata de um dente provisório e sutura. (o paciente já sai com os dentes sobre os implantes). Obs: Essa técnica é utilizada, só quando temos condições de fazê-la, pois depende de vários fatores, para não prejudicar o implante dental, recém colocado.

Reabertura dos Implantes dentários: É a segunda fase cirúrgica. Com um mínimo de 4 meses após a primeira fase cirúrgica, é feita uma pequena abertura na gengiva para acomodar um conector (chamado de cicatrizador), que vai unir a raiz artificial à coroa (o novo dente) e dar o contorno adequado à gengiva;

Moldagem: Uma vez cicatrizada a gengiva, é feita uma moldagem, com a colocação de pequenos pinos. São feitos modelos de gesso da boca, com os implantes, em suas posições exatas;

Provisórias: Feitas em acrílico da cor dos dentes, para estimular a maturação óssea, em volta das raízes artificiais;

Dentes definitivos: Como todas as conexões são pré-fabricadas, a adaptação e justeza do trabalho são incomparáveis. Os dentes são parafusados sobre as raízes artificiais e podem ser removidos, sem esforço pelo profissional, caso seja necessário algum reparo da porcelana, tratamento gengival ou aumento da prótese por perda de algum outro dente natural. Mesmo na ausência, de qualquer destas intercorrências, anualmente, é aconselhável o desparafusamento e um polimento. O conector, que aparece sob os dentes, pode ser recoberto com resina da cor dos dentes vizinhos, para melhor estética.

Carga Imediata, o que é?

      Carga Imediata é a colocação imediata de um “coroa provisória”, já no ato cirúrgico da colocação do implante, não aguardando o prazo de 4 ou 6 meses Esse tipo de procedimento, só pode ser usado, em certos casos, em que não vai haver carga mastigatória excessiva, sobre esse implante, pois se isso ocorrer, pode haver perda, do implante dentário.

Causas de Falência, do Implantes Dentários:

      Estudos estatísticos apontam que, dentre os poucos casos de insucessos, levando a perda dos implantes dentários, a esmagadora maioria é causada por falta de cuidados higiênicos adequados e a consequente formação de placa microbiana, entre as raízes artificiais e as gengivas.

Exemplos de Casos Clínicos de Prótese Fixa sobre Implantes:

      Exemplo de um caso clínico, em que foi feito uma fixa de porcelana com 5 elementos sendo 3 elementos (canino e premolares, possuem raízes com pinos e nos molares foram colocados dois implantes rosqueados de titânio.

      Obs: como não se pode fixar implantes com dentes naturais, foi colocado um encaixe entre os molares e os premolares. As próteses dos molares foram fixadas ao implantes com parafusos para poder ser retiradas pelo dentista para se avaliar as condições do implante e quanto o estado de sua higienização, que esta sendo feita, pelo paciente.

Fig1: Modelo com elementos com raízes com a parte metálica da cerâmica.

fixa dente natural e implante de dentes

Visão de cima da parte metálica, mostrando a coroa dos dentes canino, pre molares e dos implantes dos molares. Observe o encaixe, entre os molares e os pre molares.

Parte metálica já com a colocação da porcelana, podendo notar, os dois parafusos que vão fixar as próteses sobre implantes.

Fixa desmontada para podermos ver os segmentos

Uma visão lateral, no modelo, da fixa da prótese sobre implante de dentes



Uma visão de cima da prótese fixa (as duas aberturas – onde serão colocados os parafusos de fixação da prótese, na parte oclusal dos molares, foram fechadas com resina estética, após colocado na boca e fixada, com parafusos, as próteses dos molares)

      Colocação da prótese sobre o implante:

      Vários são os tipos de materiais, que podem ser feitas as próteses, sobre os implantes dentários, afim de podermos ter a recuperação da estética e função dos dentes. O importante é que a parte metálica que será a base da prótese, seja do mesmo material do implante (titânio), para evitar a formação de corrente galvânica, podendo esse galvanismo, levar a perda do implante. Entre os materiais utilizados, temos as porcelanas, os materiais resinosos e os acrílicos (nos casos de próteses totais removíveis). O tipo de material, pode variar de caso a caso (como o número de dentes perdidos, a quantidade de implantes colocados, seu posicionamento ou se a prótese é cimentada ou aparafusada, entre outras coisas).

Exemplo de caso clínico de implante de dental, para fixar melhor uma dentadura inferior:

     Dois implantes dentais, que foram colocados na mandíbula, para dar uma maior estabilidade, para a dentadura inferior, pois o paciente tinha pouco osso, Note o assoalho da língua, que aparece acima do osso mandibular.

      Fig 8: Abaixo, segue um exemplo, de uma dentadura inferior (mandibular), com pouco rebordo ósseo, sendo que isso causava a instabilidade da prótese e dor por essa prótese, ficar machucando. Anteriormente foram feitos dois implantes, um em cada região do canino (modelo abaixo, com 2 análogos colocados). Vemos também a barra e os parafusos, que irão ficar fixados, no implante, os suporte para dois O'rings e o Clip anterior a dentadura sobre a barra e modelo.





      Fig 9: Abaixo aparece as peças, que irão ser fixadas na dentadura e o lugar, onde se encaixam na barra (dois copos para O'rings, um Clip e dois anéis brancos intermediários, que vão ser utilizados ao fixar os copos, na dentadura, proporcionado uma certa folga no O'ring). OBS: Dentro desses copos, existem um anel de borracha, que podem ser de três cores: branca (mais mole, mais fácil para a remoção da prótese), amarela (intermediária) e preta (mais dura). Tanto os copos, como o clips, vão ficar fixados, embaixo da dentadura.



fixar a dentadura



      “É importante que o paciente exponha ao profissional e que esse ouça atentamente a sua expectativa, em relação a reabilitação dental com a utilização de implantes e, também que o profissional mostre a esse paciente, o que é indicado a ele, expondo o que pode ou que não pode ser feito, em relação aos implantes, de maneira clara, para se poder ter um bom sucesso, nesse tipo de tratamento”

      Nossa clínica, localizado em São Paulo, capital, desde 1954 e com centenas de pacientes atendidos.

      Devido a redução do preço dos implantes, por nós utilizados, foi reduzido o preço da sua colocação, tornando mais acessível para todos. Só usamos implantes, com certificação ISO 9001/2000, ISO 13485/2003.

      Atendimento, por telefone: (11) 2296-4943 ou (11) 2092-6159, para esclarecer suas dúvidas, orientações ou caso deseje agendar um horário, para melhor podermos avaliar os seus sintomas. Teremos grande prazer de ajuda-lo.

      Atendimento, por E-mail: jjbresp@outlook.com -Coloque, se desejar o seu telefone e o nome de sua cidade e relate seus problemas. Retornaremos o mais breve possível.

Consultório Dr. Luiz Barros.
Prof. Dr. JJ Barros
-50 anos-
Estética e Clareamento Dental, ATM
Cirurgias, Implante de Dentes - Prótese sobre Implantes Dentários
Rua Miguel Venditi 56 - São Paulo, São Paulo.
Site: http://www.atm.hostmidia.com.br